Fórum de Medicalização e Frente de Luta Antimanicomial

Ontem fui a dois encontros de dois grupos que buscam agir na mobilização de pessoas e entidades fortalecer o poder público.

Junto a Dri, fui pela manhã no Fórum de Medicalização, de iniciativa e coordenação da profa. Marilene Proença, e que parece ter como proposta juntar diferentes frentes e entidades que de alguma forma sofram com esse “processo que tranforma, artificialmente, questões não médicas em problemas médicos”, como fica definido o conceito de Medicalização no Manifesto do Fórum.

Dentre os vários informes, que me deixaram um tanto confuso e várias vezes perdido na reunião, falou-se do Ato Médico, que pretende ser uma regulamentação da medicina, mas que, antes de vir como legitima defesa dos direitos da sociedade, vem como uma garantia de mercado para os médicos, na medida em que outra profissões tem conquista um espaço que antes era exclusivamente dos médicos. Continuar lendo

VI Congresso Interno do IP

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sem ser realizado a mais de dez anos, o VI Congresso Interno do IP veio como uma oportunidade ímpar ao proporcionar a discussão entre de trabalhos entre os próprios estudantes, que puderam expor seus trabalhos no vão do bloco G, seguindo posteriormente para discussões orientadas pelos doecentes.

Assim, foi possível ver os trabalhos dos colegas graduando bem como dos colegas da pós, dos quais sempre reclamamos da distância entre os dois cursos.

Para quem participou foi possível a partir da própria apresentação repensar conceitos chaves em meio a partir de outros olhares. Tendo destaque para os professores que orientaram os grupos de discussão e se dispuseram a ler os cartazes dos alunos previamente, o que dificilmente se vê em apresentação de pôster, o que desmotiva a realização do trabalho, que muitas vezes caminha pela obrigação de sua conclusão.

Ficam, portanto, nossos parabéns e agradecimentos a quem tomou a iniciativa de organização do evento: Profa. Dra. Marilene Proença e Profa. Dra. Sônia Meyer, e a todos que contribuíram para sua realização.

Iniciativas como esta contribuem imensamente para a melhoria da nossa formação.

Abraços!

USP com Cotas?

Qual o lugar que os brancos ocupam nas relações sociais com os não brancos? Quais são as características dessa identidade sobre relações raciais sempre focam a figura do negro, Lia Vainer Schucman procurou inverter essa lógica e voltar suas atenções para o branco. Os resultados de sua pesquisa, orientada pela professora do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho, Leny Sato, foram defendidos em tese de Doutoramento em Psicologia Social, chamada: Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana.

Fonte: ip.usp.br

É tempo de continuar…

Hoje eu fiquei bem feliz com o que vi da nova chapa do Centro Acadêmico. Depois de um ano de tanto trabalho e esforços parece que está nascendo uma cara para o CA.

Foi um ano difícil. Uma das nossas principais preocupações sempre foi montar um grupo, e muitas vezes era bem legal estar no bandejão e encontrar com a galera do CA. Sim, ficávamos falando do que tava acontecendo nas entranhas burocráticas do IP e isso empolgava, tomava tempo, mas era divertido.

Claro que com o tempo muitas desilusões trazem um dessabor para esse tipo de assunto, não porque sejam chatos, mas porque nos vemos impotentes em relação a muitos deles, de modo que parecem servir apenas como conversa de elevador. Continuar lendo

USP com Cotas?

Image

Na última reunião do Conselho Universitário, responsável por dicutir e votar propostas de mudanças no modo de funcionamento da USP, foi debatido o tema “Inclusão Social/Cotas na USP”, com a convocação de um Grupo de Trabalho sobre o tema.

O objetivo deste grupo é colher da comunidade é colher um acúmulo a respeito do tema da Inclusão de minorias na Universidade, que tem acontecido principalmente por meio do Sistema de Cotas.

Sabe-se que a USP por muito tempo vem adiando a adesão a esta medida, por uma compreensão de que a exclusão de minorias raciais se resolveria sem a necessidade de abdicar do sistema de seleção atual que se pauta predominantemente no mérito de desempenho. No entanto, com a adesão massiva do Sistema de Cotas pelas Universidades Federais o tema volta a tona e a USP se viu novamente diante deste impasse.

Pensando nisso, alguns alunos propuseram ao Cursinho da Psico e ao nosso Centro Acadêmico (CAII) uma atividade cultural que abrisse o debate para chamar toda a comunidade (estudantes do cursinho, professores da psico, moradores da região, núcleo de consciência negra, alunos da psico e de outras unidades, moradores do Crusp, etcs.).

No dia 16/10 será exibido na vivência do CA, Bloco B, primeira porta à esquerda, o filme “Raça Humana”, que trata da implementação de cotas na UNB e as questões políticas que atravessaram essa medida.

Todos estão convidados!

DATA:  16/10   –   HORA: 18h   –   LOCAL  – Sala do CA, Bloco B, Instituto de Psicologia da USP

Organização: CAII, Representação Discente da Graduação, Cursinho da Psico.