Informativo: Ocupação do Bloco G da COSEAS, Carta dos moradores do CRUSP e mais vários anexos

Carta dos moradores do CRUSP em repúdio às calúnias feitas por Rodas no Boletim USP Destaques.

Os moradores do Conjunto Residencial da USP (CRUSP), reunidos no dia 20 de dezembro de 2011, vêm a público repudiar as calúnias feitas pela reitoria na edição 48 do Boletim USP Destaques (Anexo 1):

Primeiro Encontro com os Possíveis Candidatos à Sucessão na Direção do IPUSP

”]

Prezados Alunos, Docentes e Funcionários do IPUSP, o Grupo dos Professores Doutores convida para o Primeiro Encontro com os Possíveis Candidatos à Sucessão na Direção do IPUSP.

Docentes participantes: Gerson Yukio Tomanari e Maria Inês Assumpção Fernandes

Data: 12/12/11 (segunda-feira)

Horário: 12:00 – 14:00

Local: Anfiteatro do bloco G

Observação: evento com transmissão pela IPTV.

Contamos com sua presença.

Comunicado do CAII sobre os incidentes na Letras no dia 28/11 com aluno da Psicologia

Comunicado

Nós, membros do CAII mas sobretudo estudantes do Instituto de Psicologia da USP, que circulam diariamente pelos corredores e compreendem o cotidiano do instituto melhor que qualquer colunista de qualquer revista de baixa ou alta circulação, viemos por meio deste comunicado esclarecer algumas questões que envolvem o incidente de um estudante de nossa casa no prédio das Letras, da FFLCH.

Em primeiro lugar, gostaríamos de afirmar que a nota emitida pelo CAELL a respeito do ocorrido já por si só retira grande parte das dúvidas. De fato, a questão nada tinha a ver com a ação de qualquer greve ou de qualquer grupo político, sendo fruto de uma situação psicológica conturbada que levou a uma impulsividade demasiada por parte de nosso colega, cujo nome poupamos para evitar maior exposição que já houve.

Em segundo lugar, é importante para nós comunicar que o estudante em questão encontra-se já com amparo especializado, sua família foi contactada e o está acompanhando nesse momento difícil de recuperação. Questões de saúde mental, ao contrário do que possam afirmar alguns setores mais ingênuos da mídia, são tão importantes para a vida de uma pessoa quanto quaisquer outras, e certamente quem vivenciou (talvez todos que vivem em sociedade) o adoecimento psíquico de pessoas próximas é capaz de reconhecer quão perversos são determinados comentários que têm circulado (o link do blog com alguns deles, no site da Veja, encontra-se abaixo).

Não se trata de desresponsabilizar qualquer sujeito de suas atitudes. Assim como não se trata de desresponsabilizar o contexto imediato que proporciona estas atitudes, e nem o modelo de sociedade no qual este sujeito se formou. E independente desses três fatores, o que realmente não é admissível é a apropriação política das questões de saúde alheias para embasar falácias, sejam elas a favor da esquerda, da direita, do centro ou de todo o resto. Muito mais digno é prestar solidariedade e dispor-se naquilo em que for possível para ajudar, o que nós, do CAII, fazemos aqui.

Assinado: Felipe, Alan, Danilo, Camila, Andrielly, Thiago e Caio, estudantes e membros do CAII

_______________________________

Nota de esclarecimento sobre o incidente ocorrido dia 28/11 na Letras-USP

por Caell Usp, terça, 29 de Novembro de 2011 às 16:32

Na manhã 28/11, estudantes da Letras se organizaram para fazer um “piquete sonoro”, isto é, fazer barulho com batuques e apitos de modo a impedir a realização das provas marcadas para esta segunda-feira, em especial as de Elementos de Linguística II, disciplina do ciclo básico, pois, aflitos com o ranqueamento no final do semestre, diversos calouros entraram em sala para fazer suas provas apesar da greve. 

Para que ninguém, apoiador da greve ou não, fosse prejudicado, foi assegurada a possibilidade de que todos os alunos insatisfeitos com suas notas da primeira prova participem da avaliação de recuperação, a qual será desenvolvida em casa. As questões propostas e a data de entrega serão definidas pelo Departamento de Linguística.

A paralisação das provas veio no sentido da manutenção e efetivação da Greve Geral dos Estudantes, deliberada em Assembleia Geral da USP e referendada na Assembleia do curso de Letras. Ao impedirem a realização dessa prova, os estudantes garantiram o seu direito de greve e de não serem prejudicados por estarem participando da movimentação em questão, afirmando, mais uma vez, que os estudantes compõem uma categoria universitária que tem força e, unidos, podem sim fazer valer suas deliberações e ter voz na defesa da construção de uma universidade melhor – de mais qualidade, mais justa e mais inclusiva. 

Como muitos já sabem, ocorreu um episódio lamentável durante a ação pacífica dos grevistas. Um estudante da Faculdade de Psicologia da USP, durante um surto psicótico que se manifestou de forma agressiva, arrombou com um chute a porta da sala 160 e ameaçou agredir o professor Marcelo Barra Ferreira, que naquele momento aplicava prova, além de agredir alguns estudantes que estavam no piquete. Imediatamente, estes estudantes tentaram contê-lo, segurando-o e conversando com ele para que se acalmasse.

Conforme soubemos mais tarde, o surto desse estudante se iniciou no próprio Instituto de Psicologia. Após ter deixado a FFLCH, o rapaz encaminhou-se por conta própria a uma delegacia, onde devido ao seu estado psicológico o SAMU foi acionado para atendê-lo.  É necessário explicitar que atitudes como essa não fazem parte dos métodos de ação do movimento estudantil, que é categoricamente contra qualquer tipo de agressão, porém compreendemos que em virtude da condição psicológica do rapaz, não nos cabe condená-lo, ao contrário, nos solidarizamos com ele e sua família.

E, por fim, deixamos claro nosso repúdio à chapa “Reação”, candidata ao DCE da USP e ao jornalista Reinaldo Azevedo que, antes mesmo de tomarem conhecimento dos fatos, iniciaram uma campanha de calunia e difamação contra os ativistas do movimento estudantil da Letras, atribuindo a nós e a nossa luta por uma universidade livre a responsabilidade pelo tumulto, além de terem exposto o estudante doente de maneira leviana.

Assinam:

Comando de greve da Letras.

Centro Acadêmico de Estudos Literários e Lingüísticos Oswald Andrade.

_______________________________

Textos da Veja

Link do texto completo – http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/comuno-fascistas-foram-longe-demais/

Link do texto ao qual ele faz referência – http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/quem-vai-ter-a-coragem-de-restabelecer-os-direitos-constitucionais-na-usp-professor-de-linguistica-e-agredido-dentro-da-sala-de-aula-o-lugar-desses-delinquentes-e-a-cadeia-professores-que-apoiam-mo/

Greve, PM, Minorias, and so on, and so on…

I) Na Usp-Lorena, visita da reitoria é recebida com declaração positiva acerca das ações da PM autorizadas pela reitoria no dia 08/11

“Cumprimos respeitosamente expressar absoluta solidariedade à sua Administração, notadamente quanto às ações relativas aos recentes episódios ocorridos intramuros do campus da Cidade Universitária, especialmente com a oportuna e cabível interferência da força pública, visando ao restabelecimento da segurança em benefício de toda a comunidade uspiana.

É inacreditável que aqueles que tenham a oportunidade de poder contar com efetivos da Polícia Militar para sua segurança preferiram renunciar a uma garantia constitucional em nome de uma falsa liberdade que, na verdade, somente traz grilhões para aqueles que circulam pela Cidade Universitária, comprometendo a integridade física de toda a comunidade acadêmica. […]”

Leia mais no Uspdestaque

http://www.usp.br/imprensa/wp-content/uploads/Destaque-45.pdf

Continuar lendo